Método de Tratamento de Dependentes Químicos e Alcoolatras

A dependência química é um transtorno mental, onde aquele que possui tal distúrbio foge de seu controle ao fazer o uso de substâncias, tornando todos os departamentos de sua vida (psíquica, espiritual, emocional, física) um caos gradativo, de maneira grave.

O uso de substâncias entorpecentes apenas por diversão ou curiosidade torna-se um caminho sem volta até o vício. Saber dar a volta por cima quando se depara nessa situação é um desafio, mas a dependência não é incurável. Existem diversas maneiras de realizar o tratamento para a reabilitação na Clínica de Recuperação Internar. Confiram:

• Terapia em grupo: Método mais conhecido e comum, esses grupos onde a ajuda é mútua reúnem pessoas de todos os gêneros, idades e crenças, para trocas de experiências referentes à dependência. Todos os encontros do grupo ocorrem normalmente numa frequência semanal, além de serem inteiramente gratuitos. É de grande valia continuar frequentando esses grupos após a recuperação total, para garantir uma manutenção da sobriedade, além de evitar alguma recaída.

• Tratamento ambulatorial: Nesse caso, o dependente pode fazer seu tratamento através da ingestão de medicações, quando necessário, e também ser acompanhado pela equipe multidisciplinar de nossa Clínica de Recuperação Internar, porém continua inserido num ambiente familiar. O risco existe, já que o dependente estará exposto às mais diversas situações de risco, sem nenhum monitoramento.

• Internação involuntária: Esse caso é destinado àqueles que se encontram em estado crítico, já que o objetivo é impedir que o dependente químico prejudique sua integridade mental e física. Essa decisão precisa acontecer com cautela. Esse método é amparado por lei e todos os órgãos competentes precisam de notificação quando a intervenção acontece.

• Comunidade terapêutica: Esse tipo de tratamento faz com que a reabilitação dos dependentes químicos aconteça através do trabalho, do acompanhamento de uma equipe da Clínica Internar e também da religiosidade. Esse tratamento pode ter duração entre três a nove meses e o paciente convive diariamente com outras pessoas com a realidade parecida com a sua.

Independentemente do tratamento escolhido, vale destacar que nada terá 100% de eficácia caso o paciente não tenha o amparo de uma equipe especializada e multidisciplinar (já que há dependentes químicos que apresentam problemas que vão além do abuso de drogas). É muito importante que a família, principalmente, saiba como apoiar.