Sintomas da Dependência Química

A dependência química é hoje em dia um dos grandes problemas de saúde que afeta a vida das pessoas. Por causa desse transtorno, as pessoas se tornam inaptas tanto para trabalhar, quanto para se relacionarem com amigos e até mesmo entes queridos. Ou seja, a dependência química afeta de forma drástica a vida das pessoas e, na maioria dos casos, também atinge os seus familiares, que se sentem impotentes diante da degradação causada pelo vício.

A Clínica de Recuperação Internar contém todo o suporte necessário para estabelecer uma reabilitação saudável e segura para os seus pacientes, por meio de tratamentos eficientes e bem estruturados. Além disso, é essencial que o tratamento seja efetuado o quanto antes, evitando assim que a dependência química atinja níveis mais avançados. Pois vale lembrar que a quantidade de doses utilizadas pelo paciente aumenta a partir do momento que o seu organismo passa a demonstrar uma tolerância maior. Diante desse quadro, é muito pertinente saber quais são os sintomas da dependência química, permitindo assim que o problema seja identificado da melhor forma possível.

Os Sintomas da Dependência Química

Vale salientar que quando a tolerância do organismo diante do efeito das substâncias aumenta, a capacidade de discernimento do viciado se torna abalada e ele sente enormes dificuldades em parar de usar e, em muitos casos, até mesmo de aceitar a se submeter a algum tratamento. Por isso, a atuação da família é de extrema importância para auxiliar na recuperação.

Entre os sintomas que o dependente químico apresenta, estão à dificuldade de sociabilização, alterações bruscas de humor (em alguns momentos pode estar disposto, em outros momentos demonstra ser mais introspectivo e taciturno). Além disso, quadros de irritabilidade e reações violentas também podem aparecer.

Há também sintomas físicos, como perda de peso, dificuldade para dormir, ansiedade, falta de apetite, o mau funcionamento de órgãos vitais, tais como fígado, coração, bem como dores no corpo, vômitos, indisposição, entre outros.

Infelizmente é muito comum que os dependentes químicos evitem procurar ajuda profissional e, até mesmo, as rejeitem. No entanto, a internação ainda é o mais eficiente meio para estabelecer um tratamento, garantindo assim a segurança e a saúde do dependente.