Dicas para você lidar com pessoas que tem problemas com Álcool e Drogas

Pode ser difícil lidar com uma pessoa que se tornou dependente de álcool e outras drogas (cocaína, crack, etc.), pois elas são capazes de alterar a capacidade cerebral da pessoa, fazendo com que, em casos patológicos, ela viva somente em função da obtenção das substâncias capazes de estimular seu cérebro e oferecer bem-estar.

Há, porém, algumas dicas que podem ajudar nesse momento delicado. O objetivo é fazer com que a pessoa reconheça sua dependência e aceite o tratamento mais adequado.

Converse

Em casos de abuso de substâncias, pode ser complicado ter uma conversa com a pessoa dependente. A dependência fará com que a pessoa se torne defensiva e esteja em constante estado de negação, comumente alegando não ser dependente do álcool e/ou outras drogas.

É preciso esperar um momento de sobriedade e ter com o dependente uma conversa direta e racional, levantando questões pontuais sobre como a dependência irá prejudicar sua vida e o porquê de ser necessário buscar ajuda enquanto ainda há tempo.

Existem diversas clínicas ou grupos de apoio que podem ajudar nesse momento – como Alcoólicos Anônimos, Narcótico Anônimos, etc.

Informe-se

Se você já tem conhecimento sobre qual a droga que a pessoa depende, busque o máximo de informações sobre como a substância em questão altera o comportamento do indivíduo e procure se informar sobre grupos de apoio ou clínicas especializadas.

Munido de informações, você poderá dialogar com mais propriedade e, eventualmente, convencer a pessoa de que há sim um problema e que é necessário buscar ajuda.

Lembrando que não é nem um pouco aconselhável se valer de agressividade para dialogar com a pessoa dependente, pois ela poderá facilmente se recusar e continuar a exercer seu comportamento impulsivo, afinal, seu cérebro estará prejudicado pelo abuso e a prioridade do dependente será sempre a busca da substância.

Estímulos 

Haverá sempre um histórico até chegar ao ponto de dependência. Quando se é próximo da pessoa que está sofrendo com a dependência química, provavelmente você conhecerá seus hábitos anteriores e o que costumava fazer com que ela se sentisse bem naturalmente, longe dos estímulos dos psicotrópicos.

Estimule esses hábitos anteriores – seja a prática de esportes, a leitura, a música, etc. Deve ser, enfim, qualquer coisa que irá estimular o cérebro do dependente e fazer com que ele veja que é possível seguir em frente sem as drogas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *