Abstinência Alcoólatra

O alcoolismo é a doença de quem é viciado no consumo de álcool. Como na maioria dos problemas, a etapa mais difícil é a pessoa reconhecer que precisa de ajuda, por isso o apoio dos familiares é fundamental. Para quem está em uma situação como essa, parar de beber por algumas horas cria um quadro chamado de abstinência alcoólica, que acarreta sintomas variados e que você vai conhecer melhor agora.

A abstinência, portanto, é a interrupção do uso do álcool. O tempo que leva entre o último gole e a percepção dos primeiros sintomas varia de acordo com cada pessoa, normalmente ficando entre 4 e 12 horas. Os primeiros sinais de que o indivíduo está abstinente são a insônia e a ansiedade, além da irritabilidade. Esses três sintomas formam a primeira fase da abstinência.

Depois de ficar 24 horas sem beber, o alcoólatra entra na segunda fase da abstinência, na qual os sintomas se apresentam de forma ainda mais acentuada. É quando a pessoa pode ter náuseas, vômitos, taquicardia, suor excessivo, tremores nas mãos, alucinações auditivas e até convulsões. Todo esse quadro faz com que a abstinência seja muito perigosa, colocando em risco a saúde e a vida da pessoa.

Mas o que fazer? A única forma de se livrar do vício em álcool é parar de beber e a síndrome da abstinência alcoólica será uma consequência disso. É justamente por essa razão que a melhor opção para livrar uma pessoa desse vício é o internamento.  Na clínica de recuperação Internar, por exemplo, existe um cuidado muito especial com os pacientes que estão na fase abstinente, para que os sintomas possam ser controlados e não se tornem nenhum tipo de ameaça. Os médicos e terapeutas atuam em conjunto nesse momento tão delicado.

É inevitável que o organismo reaja à retirada do álcool da corrente sanguínea, caso contrário, o alcoolismo não seria um vício tão perigoso. Por isso, se você conhece alguém que está sofrendo com esse problema, saiba que a melhor forma de ajudar é por meio do internamento em uma clínica com profissionais especializados para cuidar desse tipo de caso

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *